Tendências de mercado para 2022 e as expectativas para “o novo normal”

Tendências de mercado para 2022 e as expectativas para “o novo normal”

Estudos da Robert Half apontam grandes mudanças na cultura de trabalho e uma nova perspectiva das empresas para a valorização de seus profissionais.

 

Em Outubro deste ano, Fernando Mantovani, por meio da revista Exame, fez algumas análises em busca de dados e fatos que sinalizassem possíveis tendências no mercado de trabalho em 2022. 

Além disso, com pesquisas levantadas ao lado da Robert Half, empresa consultora de recursos humanos, que anualmente disponibiliza percepções de mercado, salários, insights relevantes para recrutadores e profissionais, Fernando Mantovani disponibilizou algumas informações que podem direcionar linhas de expectativas e negócios em 2022 para empresas e profissionais. 

Confira a seguir as possibilidades do mercado de trabalho para 2022. Continue lendo!

 

1 – Nova cultura de trabalho

2 – Busca por novos talentos

3 – Saúde mental da corporação

4 – Perfil ESG nas empresas

 

1. Nova cultura de trabalho

 

Dos levantamentos feitos, a pesquisa da Robert Half mostrou que 91% dos profissionais entrevistados afirmaram que poderiam trabalhar à distância para empresas de outras cidades, estados ou países, e 64% informaram conhecer pessoas que já receberam a mesma oferta para a nova cultura de trabalho. 

Além disso, a crescente demanda de atividades no remoto e a reconfiguração de empresas para a cultura de trabalho à distância, evidencia a quebra de arquétipos no âmbito de trabalho, e, consequentemente, a grande busca por talentos que se adequaram bem ao modelo, por enxergar em seu dia a dia autonomia e flexibilidade de trabalho, alcançando do mesmo modo o desempenho espero por meio da realização de metas traçadas.  

 

2. Busca por novos talentos

 

A valorização por talentos internos será a chave de 2022 para manter bons profissionais nas corporações.

A pesquisa também apontou que 69% dos recrutadores informaram que será ainda mais difícil encontrar pessoas qualificadas para ocupar cargos, o que leva as empresas, em caso de busca, à necessidade de avaliarem ainda mais suas remunerações e benefícios para que haja a possibilidade de interação de novos profissionais.

Ao lado disso, o receio de 49% dos empresários na perda de profissionais já consolidados e importantes na empresa, por motivos de uma forte tentativa da concorrência de recrutar esses profissionais, colocando em jogo o aumento da pressão pela entrega de resultados, insatisfação salarial e descontentamento da cultura corporativa. 

3. Saúde mental na corporação pós quarentena 

 

O último estudo feito por  Fernando Mantovani ao lado da The School of Life, sobre inteligência emocional e saúde mental no ambiente de trabalho, analisou que durante o período de pandemia, muitos empresários e colaboradores não se sentiam motivados a cumprir com suas metas e resultados, em dado momentos, por motivos de instabilidade emocional.

Do mesmo modo, um levantamento de O Guia Salarial, por sua vez, apontou que 53% dos executivos e profissionais estão propícios ao estresse, ansiedade e burnout, mostrando que saúde mental e bem-estar também passam a fazer parte da pauta de discussões corporativas, uma vez que os resultados e metas dependem da saúde emocional e mental de cada colaborador. 

 

4. Perfil ESG nas empresas 

 

Com abordagem de modelo ESG (tendência de investidores para avaliar perspectivas e comportamentos de empresas na sociedade. Saiba mais sobre o assunto ) as corporações ganham uma imagem de confiança, tanto para o seu público quanto para novos colaboradores que dialogam com a boa prática de mercado. Segundo O Guia Salarial, 83% dos profissionais afirmam se sentirem mais motivados e seguros a fazerem parte de empresas em incorporam o perfil ESG. 

Fernando Mantovani, em sua análise, ainda afirma que 2022 será configurado como um ano de desafios e remodelagens para os executivos e seus negócios.

De certo modo, a crise sanitária trouxe para as empresas a habilidade ainda maior de lidar com situações de crises, e do mesmo modo gerenciá-las da melhor forma, com estratégias, planejamentos e bons profissionais.

A busca por novos resultados e reconfiguração de modelos internos, agora se torna mais um desafio que o período pós quarentena nos traz, para retomada de novas perspectivas e olhares mais aguçados para cultura interna das corporações.  

Curtiu o conteúdo? No blog da FSH você acompanha os melhores conteúdos sobre estudos, trabalho e carreira. Que saber mais? Acesse a pesquisa na íntegra em O Guia Salarial.

 

Leia Também: Como construir uma carreira de sucesso?

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

Open chat